Cristão ou Evangélico? Entenda a diferença

Você já deve ter ouvido alguém dizer que existe diferença entre ser cristão e ser evangélico. Será que isso seria apenas uma questão de terminologia ou na prática realmente são duas coisas distintas?

Os primeiros cristãos

Primeiramente é preciso lembrar que ao longo dos anos os seguidores de Cristo receberam diferentes títulos ou nomes. Lá no começo da Igreja Cristã eles eram chamados de “os seguidores do Caminho” (Cf At 9:2; 24:13-16) e pouco tempo depois foram identificados pela primeira vez como cristãos na cidade de Antioquia (Cf At 11:26), por seguirem Jesus, o Cristo, palavra grega para o Messias em hebraico.

O nome cristãos designaria os discípulos de Jesus pelos séculos seguintes. Vale ressaltar que ser um cristão não era exatamente algo muito popular naqueles dias. Essa nova religião era vista como uma ameaça ao Império Romano, uma afronta ao judaísmo e uma coisa totalmente sem sentido para os gregos. A maioria dos que aceitavam a doutrina eram pobres, escravos e pessoas das classes sociais mais baixas, o que marginalizava ainda mais esse grupo.

Cristãos Católicos

No entanto, o número de cristãos nunca parou de crescer e pouco a pouco alcançou também as classes mais altas, chegando aos poderosos, incluindo o Imperador Romano Constantino, no início do século IV. Esse momento é super importante por que a partir daí a Igreja passa a ter uma organização formal reconhecida pelo Estado e o nome Católica, que significa Universal, é adotado oficialmente. 

Daí em diante temos os cristãos fazendo parte da Igreja Católica, entretanto o que se sabe é que ninguém se apresentava como “católico” e sim como cristão. Só com a reforma protestante, que acontece no século XVI é que as pessoas passaram a se referir como “cristãos católicos” ou “cristãos protestantes”. E o que vemos a partir desse período é o surgimento de inúmeras outras denominações cristãs (batistas, presbiterianos, metodistas, anglicanos, etc) e isso fez com que cada um dissesse que era da Igreja x ou y, ao invés de simplesmente se apresentarem como cristãos.

E de onde surge o termo evangélico?

Bem, no coração da Reforma Protestante estava o desejo de restaurar e exaltar o evangelho (palavra que significa boas novas) puro, tirando fora as tradições humanas acrescentadas pelo catolicismo. Esse movimento chamado de Evangelicalismo tomou forma e força e seus adeptos agora eram chamados de evangélicos, exatamente por buscarem viver o evangelho puro.

Você e eu sabemos que na pratica algumas coisas desandam um pouco, e muita gente acaba não representando bem a fé que professa. Escândalos tem acontecido no meio religioso cristão em geral. Hoje vemos também muitos cristãos evangélicos que não procuram seguir a Bíblia mas sim doutrinas de homens, seguem mestres segundo suas vontades (Cf 2Tm 4:3). É hora de acordar e honrar a beleza que esses termos representam.

Mas afinal, existe diferença?

Em resumo, evangélico e cristão são termos diferentes sim, mas que apontam numa mesma direção. Ser cristão é ser um seguidor do Caminho, discípulo de Cristo e esse nome precisa estar acima da denominação que você segue. Ser um evangélico é seguir o evangelho puro, bíblico, vivo e isso precisa ser mais que um mero termo ou designação pra você.

Se você é uma pessoa sincera, que realmente segue a Bíblia e os reais ensinos de Jesus em sua essência, você é um cristão evangélico e deve se alegrar nisso, “pois esse é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê.” (Rm 1:16)  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code